Assine o Spotlight

Vamos jogar luz em temas contemporâneos do universo da arquitetura, design, iluminação.

Spotlight 09

Goniofotômetro. Reprodução – HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos Tecnologia a favor do design. A Iluminar é uma das poucas empresas no Brasil que possui um goniofotômetro. Um…

Leia mais

Spotlight 08

Galeria Minas Tênis. Projeto: Fernando Maculan e Paulo Pederneiras. Foto: Gabriel Castro. – HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos Sob a luz da criatividade Para nós, da Iluminar…

Leia mais

Spotlight 07

– HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos Um tempo para o design A Iluminar sempre valorizou o design. Ele é tão parte da nossa história como a luz…

Leia mais

Spotlight 06

Plafon Dillo. Imagem: Iluminar – HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos – Para reverenciar o design que se molda à vida e suas mudanças, aos ambientes…

Leia mais

Spotlight 05

Su Vertical nos Retiene. Foto: Cristóbal Palma / Estudio Palma – EM FOCO – A conquista do espaço Não, a ideia aqui não é desbravar o espaço…

Leia mais

Spotlight 04

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos – GAP Q Quanta elegância em tão fina linha. GAP surgiu e logo conquistou seu espaço, desenhando luminosidades e ornando…

Leia mais

Spotlight 03

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos – Criada por  Ari Coelho, por necessidade de ter em seus projetos uma luminária de parede, que fosse discreta, elegante,…

Leia mais

Spotlight 02

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos – Deep Lighting Existem espaços que acolhem, abraçam e criam em nós uma sensação de grande bem-estar e aconchego. Não…

Leia mais

Spotlight 01

Foto: Ralph (Ravi) Kayden via Unsplash – EM FOCO – Luz no fim do túnel Os tempos são outros: diferentes, únicos, desafiadores. O novo normal chega transformando…

Leia mais

Spotlight 09

Logo sem fundo

Goniofotômetro. Reprodução

– HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos

Tecnologia a favor do design.

A Iluminar é uma das poucas empresas no Brasil que possui um goniofotômetro. Um equipamento usado para medir a intensidade de luz emitida por uma fonte luminosa em diferentes ângulos. Com os dados da medição se obtém muitas informações importantes como as curvas de distribuição de intensidade luminosa, o ângulo de abertura de facho, a intensidade luminosa em relação a diferentes distâncias e à área iluminada, o fluxo luminoso total e os arquivos Eulumdat e IES.

Em outras palavras, essas informações são aliadas importantes para o desenvolvimento de um bom projeto luminotécnico. Com elas é possível conhecer como uma fonte de luz atua no espaço, como por exemplo  onde vai ter luz e sombra, qual vai ser a intensidade de luz na área iluminada. E também  fazer verificações de iluminação com os arquivos IES ou Eulumdat em softwares como o DIALUX.

Todo o processo de medição é feito em uma sala especial onde as paredes e o teto não fazem reflexões de luz para que não haja interferência, afinal cada peça tem um tamanho, um tipo de material e de lâmpada, um eixo e uma geometria que deve ser fixada de um maneira diferente.

​Não é qualquer empresa que consegue fazer estas medições devido ao alto custo do equipamento, ao espaço adequado e à necessidade de qualificação técnica para conduzir todo o processo.

Nós da Iluminar, colocamos esta tecnologia de ponta a seu dispor, sempre no sentido de oferecer o melhor design mas também uma alta eficiência.

Museu de Ciência e Tecnologia de Shenzhen.
Projeto: Zaha Hadid Architects (ZHA). Imagens:  Brick

– EM FOCO –

As imprescindíveis tecnologia e inovação

Muito se fala em tecnologia e inovação. Dois conceitos que tiram o sono dos criativos e motivam aqueles que buscam sucesso no mercado, seja ele qual for.

Sem dúvida alguma, nossas vidas são beneficiadas com os avanços tecnológicos. Difícil imaginar a vida sem a internet, por exemplo. Mas, venhamos e convenhamos, há sempre nesses avanços uma pitada de inovação.

O que queremos destacar é que a integração entre entre tecnologia e inovação pode gerar grandes resultados. Mais ainda quando o design passa a fazer parte de “combo”, propondo e entregando benefícios.

Quando levamos em conta o cenário contemporâneo com seus ambientes hiper competitivos e em constante mudança, com suas  rupturas tecnológicas cada vez mais velozes e com a pulverização dos gostos e interesses de um consumidor cada vez mais exigente, apostar em tecnologia, inovação e design torna-se mais que um desafio, um exercício de sobrevivência e evolução. Nesta

edição da Spotlight trazemos um conteúdo que transita por essas questões revelando projetos incríveis. Vem com a gente!

Tecnologia e luz dão boas-vindas a 2022.

2022 chegou iluminando os céus e trazendo o sonho de dias melhores em Dubai. A cidade foi presentada com um grande festival de eventos.

Um dos mais encantadores foi o Laser & Light Show no Burj Khalifa, um edifício simplesmente único.

O espetáculo foi criado e produzido pela ECA2 com Patrick Awouters (LSE) com muita luz e laser na produção.

Imagine instalar luminárias no comprimento do edifício mais alto do mundo (830 metros) em ambos os lados da torre. Um desafio e tanto que transformou em uma grande atração. 

O espetáculo será projetado na torre a cada hora a partir das 18h15 ate 22h15 durante a semana.

E projeções serão estendidas a cada 30 minutos até às 22h45, nos finais de semana. Um show garantido até 31 de março de 2022.
Foto: Ralph Larmann

Zaha Hadid Architects revela futuro Museu de Ciência e Tecnologia

O futuro museu de ciência e tecnologia de Shenzhen é de autoria de Zaha Hadid Architects –ZHA.
O edifício  de 125.000 metros quadrados já está em construção na cidade de Guangming e pretende ser referência e fortalecer a posição global da cidade como centro de inovação e tecnologia.
Como sempre, o design do ZHA surpreende pela beleza e inovação. O plano em forma de U compreende uma sequência de espaços públicos interconectados, galerias e instalações educacionais centradas em torno de um átrio. O espaço interativo torna a orientação e o deslocamento o mais intuitivos possível.
Sua flexibilidade permite que algumas galerias permaneçam fainalteradas, enquanto outras podem mudar de acordo com o tipo de exposição em exibição.
Segundo os criadores, o projeto é uma resposta às condições distintas do local, com sua solidez e geometrias curvilíneas dinâmicas que expressam as muitas rotas de circulação urbana a leste do local.’
O museu será conectado a uma série de universidades, escolas e centros de inovação em toda a China.

Museu de Ciência e Tecnologia de Shenzhen.
Projeto: Zaha Hadid Architects (ZHA). Imagens:  Brick

– NEON | Palavras que Brilham –

“O tempo é o maior inovador.”
Francis Bacon

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Inovação premiada

A livraria Xi’an Fangsuo venceu a categoria Lighting Design no FX International Design Awards.

Verdadeiros templos da literatura. Assim podemos definir as livrarias que iluminam saberes na China. Lá, as livrarias parecem surgir quase tão rapidamente quanto os showrooms de vendas de imóveis.

Uma das mais incríveis está em Xi’an. A livraria principal de 5.000 m2 e dois níveis faz parte do marco da moda da cidade – o Laochenggen G Park, um espaço cultural público considerado como um experimento inovador da cidade do futuro.

No primeiro andar, estantes de 10m de altura formam uma entrada dramática. Uma escada imponente em espiral aberta faz uma curva do centro até o segundo nível, envolvendo uma torre circular de livros de 5m de altura com uma área de 176m².

A madeira de tons quentes é o elemento predominante em todo o projeto. E o design da livraria estimula a contemplação com suas salas e recantos interligados.  A iluminação é criteriosa, realça o calor da madeira cria um brilho confortável e funcional nas prateleiras.

Os arcos do teto são levemente iluminados com holofotes em seu ápice para fornecer luz descendente a uma altura elevada. 

Encaixes lineares curtos são montados em um ângulo de 45º nas colunas opostas às prateleiras nas passarelas do segundo andar que margeiam o espaço de pé-direito duplo. Estes proporcionam um ritmo visual e iluminam os arcos.

Vale tecnológico em Portugal

O escritório dinamarquês BIG assina o projeto  Fuse Valley  em Matosinhos, ao norte de Portugal.

Trata-se de um complexo corporativo de uso misto dedicado à Farfetch, plataforma global para moda de luxo, e ao Castro Group, empresa que atua nas áreas de promoção imobiliária e construção. O Empreendimento sustentável abrirá caminho para um futuro vale tecnológico que nascerá na cidade nos próximos quatro anos.

Mais de 80% dos espaços exteriores serão totalmente abertos à comunidade, numa total harmonia e respeito pelo meio-ambiente do entorno.

Para José Neves, CEO e Chairman da Farfetch, os espaços são mais do que locais de trabalho, são núcleos de conexão, criatividade, inovação e bem-estar. Para ele, no Fuse Valley “o presencial e o remoto se encontram em perfeita simbiose, promovendo a cultura da empresa.”

Fuse Valley projetado pelo BIG em Matosinhos, Portugal. Imagem: Lucian R.

Ghost by Vibia: Forma, função e tecnologia de ponta.
 
A coleção Ghost assinada por Arik Levy foi escolhida como a vencedora do Archiproducts Design Awards (ADA) 2021 na categoria iluminação.
Este prestigiado prêmio internacional valoriza sobretudo a capacidade de aliar funcionalidade, beleza, inovação e estética, bem como a criatividade na utilização de materiais e formas.
Esta esplêndida coleção é caracterizada por uma aparência etérea e representa um tratado sobre contrastes como: imaterialidade e materialidade, invisibilidade e presença, técnicas artesanais tradicionais e tecnologia de ponta.
A coleção é oferecida em dois formatos: luminária de mesa e luminária pendente. Ambas fornecem luz quente, vinda da superfície lisa de seu vidro opala soprado triplex.
O candeeiro de mesa apresenta dois volumes arredondados e sensuais sobrepostos, com um anel preto que envolve a parte central e funciona como um dimmer manual.
Os difusores, disponíveis em branco, bordô e âmbar, iluminam as formas bulbosas, gerando efeitos de iluminação incrivelmente belos e personalizados.
 
*A Iluminar é representante da Vibia no Brasil.

Coleção Ghost assinada por Arik Levy. Imagem: VIBIA

– LUZES DAS CIDADES

São Paulo │Tunga: conjunções magnéticas

O Itaú Cultural apresenta a exposição ‘Tunga: conjunções magnéticas”, que reúne aproximadamente 300 obras do artista Tunga (1952-2016).

Essa é uma retrospectiva que apresenta a magnitude da obra de Tunga em sintonia com sua prática e sua poética plástica.

A mostra estende-se para o espaço do Instituto Tomie Ohtake,que recebe a escultura Gravitação magnética (1987), cujos esboços ocupam o espaço de ambos os espaços culturais – e o filme- instalação ‘Ão’ (1981).

A mostra segue até 10 de abril , de terça a domingo, das 11h às 19h. Itaú Cultural – Av. Paulista, 149, próximo ao metrô Brigadeiro Entrada Gratuita.

Tunga.  Imagem: Gabi Carrera

Clube da Esquina. Imagem: Reprodução

Belo Horizonte │ 50 anos Clube da Esquina

O Clube que colocou Minas nos palcos nacionais e internacionais da música ganhou uma exposição muito especial: “Viagem de Ventania – Trilha Sonora dos Tempos está em cartaz na Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube.

A concepção é do do compositor, escritor e integrante do Clube da Esquina, Márcio Borges. Uma imersão em 12 canções do Clube da Esquina, por meio de objetos, projeções, luzes, cores e da própria canção.

A Galeria de Arte funciona de terça-feira a sexta-feira, das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h.

A exposição vai até 6 de março e a entrada é gratuita

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 08

Logo sem fundo

Galeria Minas Tênis. Projeto: Fernando Maculan e Paulo Pederneiras. Foto: Gabriel Castro.

– HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos

Sob a luz da criatividade

Para nós, da Iluminar a luz tem sido uma fonte inesgotável de inspiração que se traduz em milhares de projetos realizados ao longo de mais de quatro décadas de trajetória. São hotéis, museus, bancos, espaços corporativos, comerciais, residenciais, estádio de futebol, praças públicas, cinemas, teatros, galerias de arte.

Muito além do aprendizado e da experiência estão a sensibilidade, a pesquisa, o apuro estético e, fundamentalmente, a criatividade. É ela que nos encanta e prestigia, nos move e transforma sonho em realização, design em conquista.

Junto aos nossos lighting designers e em parceira com arquitetos, decoradores e engenheiros envolvidos em cada projeto, criamos as condições para harmonizar luz e inventividade – sem nunca deixar de lado o uso racional da energia e a aplicação de tecnologias que geram eficiência para os usos contemporâneos.

Em cada novo projeto, em cada desafio e obra realizada saudamos a misteriosa força criativa que acende possibilidades e sucessos.

Clínica Bruno Vargad. Projeto: Johanna Anastasia. Foto: Jomar Brahança

Apartamento MJ. Projeto: Nove Ponto Um Arquitetura . Foto: Henrique Queiroga 

 Sede Humanae Incorporadora. Pprojeto: Natalia Veloso Arqitetura. Foto: Marcus Camargo

– EM FOCO 

A tão aclamada criatividade

Para uns ela é coisa de gênio. Para outros, uma capacidade que qualquer pessoa pode desenvolver. Afinal de contas, onde está a criatividade? Para Austin Kleon, autor do livro “”Roube como um artista”, nada é original. Como assim?

 Austin de defende que uma ideia sempre nasce de outra, que surge de outra, e mais outra e por aí vai. Nada de muito novo, afinal não é de hoje que conhecemos a máxima: nada se cria, tudo se copia.

Tudo se copia: aí reside o grande segredo, afirma Kleon. A verdadeira arte criativa está em saber copiar . Ou seja, saber reeditar os conteúdos e boas referências apreendidos, sempre com inteligência e um toque pessoal.

O que o autor defende com maestria é que se queremos ser criativos devemos coletar ideias, questionar, misturar e reimaginar para achar nosso próprio caminho. Lembrando que , seja qual for a situação,  sempre haverá algo a aprender 

Nesta edição , nossa Spotligt reverencia a criatividade em suas diferentes formas, autorias e olhares. 

Galeria Winton, projeto de Zaha Hadid Architects. Foto: Luke Hayes

Very Peri, a cor Pantone do ano de 2022. Foto: goodnet.org.

 Cor e criatividade

Very Peri – um nome diferente para uma uma cor totalmente nova. A Cor Pantone do Ano reflete o que está acontecendo em nossa cultura global e de uma maneira corajosa estimula a inventividade e a criatividade pessoais.

A complexidade desse novo tom de azul com toques de vermelho e matizes violetas destaca as possibilidades expansivas que estão diante de nós. Ilustra a fusão dos tempos contemporâneos com o mundo digital e como isso afeta o nosso mundo físico.

Antes de escolher a cor do ano, a Pantone analisa as tendências de arquitetura, condições socioeconômicas, arte, indústria do entretenimento, tecnologia, moda e todas áreas de design.

Todos os anos, essa cor inspira o desenvolvimento de produtos e as decisões de compra em vários setores, como moda, design de interiores e design industrial, bem como embalagens de produtos e design gráfico.

Na arquitetura e decoração, os tons de azul , violeta e lavanda são usados há muito tempo em instalações, espaços comerciais e iluminação.Eles geram um efeito  tranquilizador, otimista e positivo na mente humana.

Veri Pey chega para expressar e afetar ideias e emoções, se envolver e se conectar com a complexidade dos novos tempos.

Transsensorial Gateway, Milão, Itália. Projeto: noa* network of architecture. Foto: Alex Filz

Criatividade mundo afora

O festival de arte Suseong Light de 2021, realizado em Dae-gu, na Coreia do Sul,  apresentou a instalação temporária  o “1.300 pavilhão de reciclagem

de Hyunje Joo_baukunst . O arquiteto reaproveitou 1.300 cestos semitransparentes e criou uma estrutura totalmente branca e translúcida que suaviza os limites internos e externos.

A composição final permite que a luz, sombras e silhuetas sejam filtradas para além do pavilhão. Incrível.

Hyunie enfatiza ao descrever sua obra : “a passagem do tempo é sentida mais ativamente de dentro e de fora, pois esses efeitos de luz estimulam nossos sentidos”,

1,300 recycling pavilion, Coréia do Sul. Obra e imagem: hyunje joo_baukunst.

Criatividade no Home Office

Uma novidade vai agradar e muito aos fãs das famosas peças de montar da LEGO. A empresa acaba de lançar uma coleção de peças em madeira para escritórios.

Porta-retratos, cabides de parede, estantes de livros e gavetas para serem usadas sobre mesa são parte da coleção, desenvolvida em parceria com a Room Copenhagen.

O foco é a sustentabilidade. Tudo foi produzido a partir do uso de madeira de carvalho vermelho certificada, vinda de florestas manejadas de forma responsável.

Mas não podemos deixar de destacar a criatividade das peças e sua estética elegante e minimalista, nas versões em tons escovado e manchado.

Coleção de acessórios LEGO de madeira para escritório. Foto: Casa Vogue

– NEON | Palavras que Brilham –

“Criatividade é a última energia renovável.”

Ravi Naidoo

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Uma estrela com 111 fragmentos iluminados

Uma explosão de luz, consistindo de 111 fragmentos iluminados. Esse fenômeno ocorre no coração de Kuala Lumpur, iluminando um espaço conhecido como edifício do ar. Um composto de concreto bruto e fragmentos de metal situado nas fronteiras entre a natureza e a cidade.

A instalação iluminada – obra de o artista Jun Ong, é integrada ao núcleo do edifício de quatro andares. O efeito é surpreendente, com alguns de seus raios perfurando o edifício.

Star/KL de Jun Ong. Kuala Lumpur, Malásia. Foto: David Yeow 

Sunne – Vencedor Lighting Design do Dezeen Awards 2021

Sunne ou sustentabilidade? Sunne ou criatividade? Os dois e muito mais. Merecedora a peça que venceu o Design Awards 2021. Durante o dia, ela captura a luz do sol e armazena a energia para iluminar o ambiente à noite.

A lâmpada tem uma moldura de alumínio anodizado e foi projetada para ser pendurada na frente das janelas. Assim, a luz acende-se automaticamente ao anoitecer

Sunne  se apresenta em três configurações que imitam as cores do céu: Sunne Rise, Sunne Light e Sunne Set. Ela inaugura uma coleção que está a caminho com o propósito de evidenciar como a energia solar podeestar presente em nossas vidas de uma maneira bonita e inteligente.

Designer: Marjan van Aubel Studio

Projeto: Sunne

Sunne, de Marjan van Aubel Studio. Via Dezeen.com

Pontos de luz em paradas ferroviárias

Imagine caminhar em uma estação de trem vendo sua sombra multicor a cada passo. Essa é a proposta da equipe Ingo Maurer, que pontuou as paradas ferroviárias em Karlsruher, na Alemanha, com pontos de luz RGB.

Os tons de vermelho, azul e verde são mixados em cones de luz branca e projetados no piso da plataforma. Assim que os passageiros passam sob o local, suas sombras são projetadas como formas tricolores – quebrando a luz brilhante uniforme do local.

Lúdico, surpreendente, criativo. O projeto “brinca “com os transeuntes ao torná-los participantes ativos da iluminação .

RGB light spots em estações na Alemanha. Foto: Brigida González

– LUZES DAS CIDADES

Estação Duomo, Nápoles, Itália. Foto: Holande Halbe

Nápoles | DuomoLuzes encantam na estação

A  estação Duomo da linha 1 do metrô de Nápoles foi inaugurada em agosto de com um design luminoso e envolvente.

Situada na histórica Piazza Nicola Amore de Napoli, ela foi cuidadosamente projetada e construída respeitando

o patrimônio arqueológico do local, tendo em mente a importante relação entre arquitetura e história.

Dica imperdível para quem visita a cidade italiana.

Projeto “Sopros”. Foto: Japan House.

 São Paulo |  Encontro do tradicional com o contemporâneo

A Japan House São Paulo apresenta ‘Sopros’, um projeto que traz peças utilitárias de vidro no estilo Edo Glass com design atual.

São duas mostras que acontecem ao mesmo tempo, destacando a relação entre o tradicional e o contemporâneo com peças  produzidas por talentosos artesãos nipônicos.

Edo Glass é o nome dado a um conjunto de técnicas artesanais de fabricação de vidros desenvolvida no Período Edo (séc. XVII a XIX) . Ela se mantém viva nos dias de hoje como símbolo da produção de Tóquio.

Sopros pode ser visitado até o dia 6 de março de 2022.

Terça a sexta-feira: das 10h às 18h Sábados: das 9h às 19h Domingos e feriados: das 9h às 18h. Entrada gratuita

Agendamento online antecipado (opcional)

Nise da Silveira. Foto: via Brasil de Fato

Belo Horizonte | Nise da Silveira – A Revolução pelo Afeto

Nise da Silveira foi uma psiquiatra que tornou-se mundialmente conhecida por usar o afeto como metodologia científica no tratamento às pessoas com sofrimentos psíquicos.

Vanguardista, Nise reposicionou o entendimento de loucura na história da humanidade. A arte foi sua grande aliada e a exposição apresentada pelo CCBB BH reúne mais de 100 obras de clientes do Museu de Imagens do Inconsciente.

A curadoria do Estúdio M’Baraká valoriza a dimensão vanguardista e criativa de uma das maiores cientistas do Brasil, reconhecida internacionalmente.

Não é necessária a retirada de ingressos para conferir a mostra.

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 07

Logo sem fundo

– HEADLIGTHS – Lançamentos e Conceitos

Um tempo para o design

A Iluminar sempre valorizou o design. Ele é tão parte da nossa história como a luz que nos inspira. Vive em nossas peças. Aparece em cada parceria. Revela grandes talentos. Inspiração: transpiração: criação. E a forma ganha sentido.

Nesta Spotlight trazemos uma retrospectiva dos lançamentos de 2021. Uma amostra de como valorizamos o design em cada escolha e detalhe. 

Para o novo ano que se inicia, criamos um calendário que também homenageia o design com peças de profissionais renomados, parceiros estimados* que fazem parte da nossa trajetória com seu talento e criatividade.

Aproveitamos a oportunidade para desejar a todos – clientes, amigos, colaboradores, seguidores e parceiros um 2022 com a alegria dos reencontros, o brilho das novidades e muita luz nos corações.

* FLY de Alessandro Peres, OPEN de Ari Coelho, CHIP de Cícero Mafra, CROSS de Eduardo Lopes & Yururá Garcia, TWIST de Eliane Pinheiro, TUFF Flávia Rocha, FLOP de Francisco Terroba, LUNA de Freuza Zechmeister, DUO de Gustavo Mafra, TSU de Maneco Quinderê, PIANA de Marcelo Slon, LITZ de Porfírio Valadares, MAMMA MIA de Ronaldo Mafra, VUU de Vivian Coser. Você conhece um pouco mais sobre cada um deles no site  Iluminar BH.

Calendário Iluminar 2022.

O design na essência.

Ícones do design contemporâneo referenciam as escolhas da Iluminar. Somos distribuidores da Víbia, com exclusividade, e da Artemide, duas empresas expoentes do universo da iluminação.  
A Vibia utiliza materiais, fontes de luz, dimmers inteligentes e sistemas de conectividade de acordo com novos hábitos culturais para criar espaços onde a emoção convive com a mais alta qualidade.  Aqui, o design reside não só no produto, mas também na própria experiência.
Artemide têm uma abordagem da luz humana e responsável com peças que unem savoir faire, alta tecnologia e sabedoria antiga para criar a expressão    perfeita do design sustentável.
Confira os produtos em nosso site iluminar.com.br e mais em www.vibia.com  e www.artemide.com

Luminária Discovery by Artemide ( esq.) e pendente Skan, by Vibia (dir.).

Um conceito por trás do design

2021 foi mais um ano importante para nós, da Iluminar. Lançamos e relançamos peças alinhadas com as tendências do mercado, as exigências da arquitetura e do decor e, principalmente, com o conceito “deep lighting“: quanto mais a luminária estiver integrada à arquitetura, melhor.
Para tanto, contamos coma criatividade, a técnica e a experiência das equipes de amantes da luz, espalhadas nas revendas exclusivas da Iluminar em mais de 30 cidades por todo o Brasil. Pessoas que sabem como construir cenários com fontes de luz discretas, recuadas, quase imperceptíveis. Tudo muito clean e com extremo conforto visual.
Confira a seguir uma retrospectiva com os lançamentos e relançamentos de 2021.

Iluminar 2021: Vuuu, Open, Gap Q e Dillo.

VUUU. Acenda a imaginação.

 O sistema Vuuu, da designer Vivian Coser é inspirado na perfeição e forma do triângulo equilátero. Um sistema minuciosamente pensado para criar contextos inovadores a partir de um único conceito.

A versatilidade do perfil sob medida, permite que o sistema, em um ou mais módulos, seja fixado na parede, no teto ou no piso. Ele também pode ser usado como pendente ou sobreposto, luz direta ou indireta.

Traduzindo: Vuuu interage com os mais diferentes espaços com ousadia e delicadeza, contracenando com os ambientes com ares de arte contemporânea.

 

Vuuu, Designer: Vivian Coser

OPEN. Lâminas de luz.

Open, assinada pelo designer Ari Coelho, foi criada para serpresença sutil.Suspensa, flutua quase solta sua luz.

Nascida arandela, é dela toda a graça discreta da luz indireta.Aliada da arquitetura, existe e não interfere.Insere luz com intensidade, mas com toda a suavidade – todo o conforto.

Versátil, Open se abre a possibilidades* de convívio com spots de focos direcionáveis. Parceiros complementares de luz,prontos para destacar cenas e objetos.

Na sala ou no quarto, no hall ou no living, no restaurante, galeria ou onde você inventar, Open é fino traço.Lâminas de luz flutuando no espaço.

 * Você pode escolher o comprimento da peça (até 3 metros).

E também a quantidade e a posição dos spots.

Open, designer Ari Coelho.

GAP Q. A evolução.
GAP surgiu e logo conquistou seu espaço no mercado, desenhando luminosidades e ornando arquiteturas com sua simplicidade elegante.

Como tudo que evoluiGAP mudou de forma e ganhou nova versão,criada por Ronaldo Mafra.Assim, quadrada transformou-se em GAP Q.

Com seus ares de moldura, ela pasou a enquadrar novas possibilidades, sempre em conversa discreta com ambientes, em tom de luz profunda. 

Seu perfil de embutir no frame*,atua com desenvoltura como luz funcional ou como efeito cênico: sempre encanto.E sua versatilidade permite que os mesmos spots ecomplementos do GAP original – Pen, Gap Box e Gap Cil, sejam utilizados em diferentes usos, mais opções.Com GAP Q a luz é a sua aliada. O limite é a sua imaginação.

* Dimensões de 60x60cm ou 100x100cm. Possui iLed S 2700 já incluso na peça.

Gap Q. Imagem: Iluminar.

A volta de DILLO

Tudo que é bom merece bis. Por isso Dillofoi reeditado e voltou ainda melhor.A nova coleção tem mais uma opção de acabamento – a cor tabaco, perfeita para forros em madeira. E uma novidade:tornou-se mais acessível e competitiva no mercado.

Dillo mudou sem perder sua essência e sua vocação para ser muitos em um só.  Sempre reverenciando o design que se molda à vida, aos ambientes e suas exigências.     

Versátil, multi, escamoteável.A mesma luminária pode ser usadacomo um plafon de embutir -com ofoco para baixo,  ou como um spot- com 360º de articulação.

Com ou sem borda, Dillo se integra à arquitetura com luz límpida e fluida.

E com total liberdade para se sutil ou intensa,quadrada ou circular, recuada ou exposta. Você escolhe.

Plafon Dillo. Imagem: Iluminar.

– NEON | Palavras que Brilham –

“Design é a alma fundamental da criação humana.

Sérgio Rodrigues

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Uma experiência rica e caleidoscópica

Na Península de Greenwich, em Londres, a obra de Liz West chama a atenção para quem visita The Tide.

São 700 metros de balaustradas de vidro na passarela, criando uma faixa de cores ondulantes que se comportam como relógios de sol, permitindo aos visitantes interagir e acompanhar o movimento da luz natural ao longo dos dias e das estações.

West faz escolhas de cores de forma muito instintiva e intuitiva, construindo cuidadosamente um equilíbrio espacial entre elementos geométricos e formas.

Vale a pena conferir mais aqui.

Foto: Charles Emerson, via Liz West

– LUZES DAS CIDADES

Belo Horizonte | Viva experiências incríveis perto de casa

O Bora Experiências é uma plataforma muito interessante que convida você a viver experiências marcantes, sem precisar ir longe, nos arredores de Belo Horizonte.As vivências que passeam pelos universos da gastronomia, bem-estar, música, artes entre outros. 

Imagine fazer pinturas tomando um bom vinho, meditar no por do sol, aprender cerâmica ou degustar um churrasco americano harmonizado comcervejas.São muitas opções pra lá de criativas. Saiba mais aqui.

Copenhagen | Light & Space

O passado e o presente do movimento icônico de luz

 A exposição ‘Light & Space’ na Copenhagen Contemporary é simplesmente épica e grande em todos os sentidos.

Com obras de 27 artistas espalhadas por 5.000 m² é a maior exposição em  seis anos de idade da instituição, bem como a apresentação mais abrangente de artistas do movimento influente da luz e da arte de instalação (Light and Space) que surgiu em e ao redor de Los Angeles na década de 1960.

Na descrição dos organizadores trata-se de um evento físico, emocional, corporal e desorientador!

De 02/12/2021  a 04/09/2022 na Copenhagen Contemporary

Refshalevej 173A, 1432 Copenhagen

James Turrell, Granzfeld Apani. Foto: Florian Holzherr

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 06

Logo sem fundo

Plafon Dillo. Imagem: Iluminar

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos

Para reverenciar o design que se molda à vida e suas mudanças, aos ambientes e suas exigências, existe DILLO.

Versátil, multi, escamoteável. Dillo acontece conforme o seu desejo. Ou imaginação. Porque tem hora que o momento pede um único foco. Mas às vezes, o melhor é dar um giro e mudar a direção.

Aí está o grande diferencial de DILLO: a mesma luminária pode ser usada como um plafon de embutir – com o foco para baixo, ou como um spot – com 360º de articulação.

DILLO se integra à arquitetura com luz límpida e fluida. E com total liberdade para se sutil ou intensa, quadrada ou circular, recuada ou exposta. Você escolhe.

– EM FOCO 

A luz e suas infinitas possibilidades

A arquitetura respira luz. Ou seria inspira?  Em cada funcionalidade e detalhe que se quer valorizar.  Nos diferentes ambientes e propósitos do dia a dia. Na eficiência dos empreendimentos, no aconchego de casa, no design que faz sentido.

Luz para inovar, ornar, desenhar espaços. Criar atmosferas, sensações, efeitos. E sempre a tecnologia, aliada das grandes conquistas.

Nesta Spotlight, algumas da infinitas possibilidades da luz. Vem com a gente!

Foto: Guggenheim de Nova York, sob as cores da Obra de James Turrell.

Luz Magia

Uma instalação de luz mágica e interativa convida para uma experiência multissensorial em grande escala . Assim é Magical Shores. Um show que transforma as areias da Praia do Siloso em Sentosa, Cingapura em uma sinfonia para os sentidos.

O projeto foi criado pela Lighting Planners Associates – LPA, como parte do programa de revitalização da ilha e alcança 400 metros de praia. Inspirado pela rica biodiversidade da região, inclui criaturas marinhas místicas que deslizam como se estivessem debaixo d’água, criando um verdadeiro espetáculo para os visitantes. 

Magical Shores, Siloso Beach. Sinagapura, Fotos: Cheekie Monkies

Luz Ornamento

Um projeto na Cidade do México chama a atenção pela arquitetura arrojada e pela proposta luminotécnica.

Trata-se de  um espaço privado com três residências e um estúdio, em uma região central e arborizada da cidade chamada Bosques de las Lomas.

O Arquiteto Miguel Angel Aragonés criou uma estrutura toda branca,  ornamentada apenas pela luz natural e desenhada, com primor, pelos tons da luz artificial. Um requinte luminotécnico digno de destaque.

Rombo IV / Miguel Angel Aragones. Fotos: Joe Fletcher.

Luz Espectro

E por traz de toda magia, emoção e infinitas possibilidades da luz, estão as ondas eletromagnéticas.

Nossos olhos detectam apenas aquelas faixas inseridas no chamado “espectro visível”.

E é dentro desse espectro que estão todas as promessas da luz para a arquitetura. Sutil ou intensa, recuada ou exposta,

interna ou externa. Para o dia a dia das tarefas, o aconchego das casas, o brilho da arte, a valorização dos ambientes.   

E sempre o entendimento de como os diferentes níveis de iluminação podem se complementar e influenciar a nossa percepção do espaço.

– NEON | Palavras que Brilham –

A arquitetura é o jogo sábio, correto e magnífico dos volumes dispostos sob a luz.

Le Corbusier

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Shylights. Foto: Ossip van Duivenbode, via Deezen.

Lâmpadas em forma de flor sobem e descem dentro de uma floresta de vigas de madeira criando uma dança  suspensa que desperta suspiros.

Esse espetáculo acontece na entrada da edição deste ano do Design Miami / Basel. A instalação combinou duas obras: Shy Synchrony, de Studio Drift, e Forest of Space, de Fujimoto.

A Shy Synchrony exibiu a Shylight, uma lâmpada têxtil finamente elaborada, programada abrir e fechar continuamente, criando um movimento que lembra o desabrochar de flores. Dezenas dessas luzes agrupadas e coreografadas trazem para os visitantes a sincronia de um ballet encantador.

Centenas de vigas de madeira dispostas verticalmente e conjugadas em ângulo formam elementos em uma elipse incrível.

Esses elementos se transformam em assentos, dando aos visitantes um lugar para apreciar a obra de arte.

Assim é Forest of Space de Fujimoto. Um lugar onde as pessoas podem se envolver em conversas sobre o passado, o presente ou o futuro da arquitetura e quem sabe até meditar.

Foto: Simon Bielander, via Deezen.

A Iluminação nos Parques Disney

Os Imagineers da Disney são verdadeiros mágicos quando se trata de criar experiências para os visitantes dos parques.

Nesse sentido, a visão noturna é tem sido tratada como quesito crucial. E é aí que entra a iluminação e todo o seu potencial de encanto nos mais diversos espaços e aventuras. Um bom exemplo é o Mickey Fun Wheel.

A justaposição da iluminação neon do Parque com a extensa faixa de California Screamin’ captura a energia dos calçadões e cria efeitos mágicos.

O Paradise Pier se transforma toalmente à noite, redesenhando possibilidades em relação às atrações do calçadão.

Fonte: The Luxury Guide to Walt Disney World, via Boardwalk Times.

– LUZES DAS CIDADES

Outland. Foto: via Facebook.

Belo Horizonte |  Outland : o lugar

Quem estiver em Belo Horizonte não pode deixar de apreciar um belo por do sol em um espaço que reúne boa comida, drinks deliciosos, gente bonita  e muito design.
Tudo merece atenção: a arquitetura, o mobiliário, as almofadas e objetos, cada detalhe foi pensado para transformar cada momento em algo muito especial. 

O projeto é resultado do encontro de três amigos: Henrique Benerick, sócio do Land Spirit que funciona no local e fundador do Benerick’s Negroni, o drink italiano mais badalado de Beagá, o chef Massimo Battaglini da Osteria Mattiazzi e o Club do Chef, e Eduardo Faleiro diretor da Casa Cor Minas. Eles comandam Outland com muito bom gosto, elegância e uma pegada contemporânea. 

Land Spirit Complex – Rodovia Br 356, Km 7,5 – Olhos d’Água – Belo Horizonte
Reservas: (31) 9882-1870.

Equlíbrio – Daisy Ballon. Foto: Japan House.

 São Paulo | Japan House : instalação Equilíbrio

Uma instalação encantadora que tem a luz como protgonista.

Os balões são cobertos com uma camada externa de película polarizada e quando a luz incide na instalação, revela-se no espaço expositivo um espectro de cores imanentes em um efeito semelhante ao da aurora boreal. O formato orgânico da obra também chama atenção e causa uma contraposição aos materiais sintéticos.

Rie Hosokai, artista especializada em balões, e Takashi Kawada, diretor de arte e designer gráfico, se inspiraram nos ciclos da natureza para criar a obra que se transformará com o passar das semanas, marcando a inevitabilidade da passagem do tempo. Uma reflexão e tanto.

Av. Paulista, 52 – Bela Vista, São Paulo – SP

Entrada gratuita

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 05

Logo sem fundo

Su Vertical nos Retiene. Foto: Cristóbal Palma / Estudio Palma

– EM FOCO –

A conquista do espaço

Não, a ideia aqui não é desbravar o espaço sideral, tão desafiador e cheio de mistérios e encantamentos – desde sempre. Vamos nos ater aos modos da vida cotidiana na ocupação de seus espaços. Espaço para morar, trabalhar, curtir. O espaço vazio, respiro. A falta de espaço, realidade. Espaço para a arte, a poesia, a criatividade. O seu, o meu, o espaço nosso de cada dia.

Espaço para a ousadia

A Cordilheira dos Andes com sua magnitude poética própria é o pano de fundo para Su Vertical nos Retiene, situada no Parque Metropolitano Los Cerrillos, no Chile. Concebida como uma escultura habitável, a obra propões um diálogo na confluência da horizontalidade das montanhas com a verticalidade das colunas de aço.

Dezesseis colunas estão distribuídas na ilha central de um reservatório com 42 metros de diâmetro. Cada uma delas possui um trecho do Perfil da Cordilheira dos Andes descrito pelo geólogo Pedro José Amado Pissis, autor do Atlas de Geografia Física de 1875 da República do Chile.

Su Vertical nos Retiene. Foto: Cristóbal Palma / Estudio Palma

Com altura de dezesseis metros, cada coluna de aço é composta por uma viga HEB central com duas chapas de 10 mm de espessura, soldadas em cada lado, formando uma estrutura colaborativa.

Na área inferior, cada coluna é ancorada individualmente. Um conjunto de  chumbadores é usado para conectar a estrutura metálica a uma fundação independente de um metro cúbico de concreto.

Na parte superior, para evitar a poluição luminosa, cada coluna possui seis projetores de LED que são direcionados para sua base, recortando a silhueta dos perfis da montanha.

A proposta acende as peças por inteiro, desde as suas pontas, criando uma atmosfera contemplativa e totalmente integrada ao espaço.

O projeto de iluminação foi  desenvolvido pelo escritório Limarí Lighting Design (LLD).

Su Vertical nos Retiene vai além ao solucionar questões ambientais e socias.

A obra é assinada pelos arquitetos Elton Léniz e Cruz-Mandiola, pelo artista Fernando Prats e pelos lighting designers Pascal Chautard e Bárbara Maranbio do escritório Limarí. 

Contou também  com a colaboração do estúdio especializado em museografia Ámbito Cero 

Fonte: ArchDaily

Aproveitamento de espaços

Um mezanino pode ser descrito como um andar intermediário que faz um bom aproveitamento de espaços com pé-direito alto, como galpões. Seja permanente ou temporário, aconchegante ou criativo, sempre permitirá que tanto a área de cima quanto a de baixo sejam utilizadas como opção funcional.

Separamos dois exemplos de mezaninos descolados pra compartilhar com você.  Qual o seu preferido?

Bed Stuy loft, Nova Iorque (à esq.) e Block Village, Taiwan (à dir.). Fotos: Dezeen

Bed Stuy loft, Nova Iorque

Um mezanino cercado por grades metálicas brancas inaugura uma área de dormir no topo de um espaço de trabalho neste loft de Nova York. Em contraponto ao metal, optou-se por um revestimento com compensado não tratado – uma homenagem à natureza. Destaque para as grandes colunas estruturais do edifício, que foram muito bem aproveitadas e integradas ao projeto, sem prejudicar a funcionalidade e leveza dos ambientes.

Block Village, Taiwan

Um projeto muito interessante do HAO Design transformou este pequeno apartamento em um lugar clean e funcional. A criação de um mezanino em pinho fez toda a diferença. Ele  passou a abrigar um segundo quarto, espaços de armazenamento e um closet. O novo nível superior foi dividido em dois por uma passagem em forma de ponte que é acessada por uma escada em blocos de madeira clara. Show!

Home office em pequenos espaços

Home office na varanda (à esq.) e no corredor (à dir.). Foto: Casa Vogue

Na varanda

Como contornar uma metragem enxuta diante da demanda por diferentes espaços? Só mesmo com muita criatividade. É o caso deste home office projetado pela arquiteta Heloisa Losi para atender às necessidades de um casal. Ela optou por aproveitar a varanda do imóvel, um espaço com apenas 4 m² que ficou perfeito para a rotina de trabalho dos dois.

No corredor

Neste projeto de Cristina Barbara, o home office surgiu no corredor entre a área social e íntima. “É um apartamento pequeno, charmoso e com muito design. Tem uma integração perfeita entre os ambientes”, analisa a profissional.

Pouco espaço. Muita criatividade.

LIFE micro apartamentos, Coréia do Sul. Foto: Dezeen

Apartamentos minimalistas em Seul são uma tela em branco para os inquilinos.

O designer de interiores Ian Lee criou opções muito interessantes para os inquilinos do LIFE, na Coréia do Sul. Ele revestiu as paredes dos micro apartamentos com madeira de bétula, criando a possibilidade de serem totalmente personalizados de acordo com as necessidades de cada morador.

No total são 140 quartos, que variam entre 16 e 23 metros quadrados em tamanho. Ao lado, foram construídas áreas de estar compartilháveis. O Empreendimento é focado em um público bem específico: jovens adultos que adaptam-se muito bem aos modos de vida dos novos tempos.

O Empreendimento é focado em um público bem específico: jovens adultos que adaptam-se muito bem aos modos de vida dos novos tempos.

– NEON | Palavras que Brilham –

O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

Carlos Drummond de Andrade

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Unwoven Light. Foto: John Kulvicki

Luz escultural

A luz torna-se um material escultural no diversificado portfólio da artista Soo Sunny Park, que contém projetos desafiam as fronteiras entre escultura, instalação e desenho.

Park tem um profundo interesse pela luz e desenvolveu em uma exploração de espaços liminares – aqueles que existem entre dentro e fora, escultura e desenho, visão e percepção, objetos e suas sombras. “Percebi que, em muitos aspectos, a luz é o ser liminar definitivo”, ela compartilha.

Luz pontual

A iluminação pode ultrapassar seus usos de funcionalidade e se tornar uma bela coadjuvante dos mais diversificados projetos de arquitetura e de interiores.

Quando bem utilizada, a luz é capaz de produzir efeitos cênicos, mágicos e inspiradores. É o caso desse projeto.

Com um tom mais intimista, a obra Cabeças, de Ronaldo Mafra é valorizada pela luz profunda, discreta e pontual de um único plafon de embutir Hidden, peça exclusiva da Iluminar.

Conheça mais em iluminar.com.br

Foto: Hou de Sousa, via Designboom

Edifício de Curitiba é eleito o mais sustentável do mundo pelo prêmio LEED Homes

Edifício LLUM Batel, Curitiba. Foto: Daniel Castellano.

O edifício LLUM Batel, entregue há dois anos pela construtora Laguna em Curitiba, é o vencedor do prêmio LEED Homes Awards 2021 na categoria Projeto do Ano.

Esta é a primeira vez que um empreendimento brasileiro é reconhecido pela USGBC como ganhador do LEED Homes Awards.

Os vencedores representam projetos multifamiliares, unifamiliares e de habitação a preços acessíveis de todo o mundo.

Além de um júri técnico, o USGBC abriu votação para o público que escolheu, entre 10 finalistas, qual empreendimento representa excelência em construção verde, com base nos seguintes critérios:

 

  • Impacto / igualdade
  • Design
  • Sustentabilidade e saúde
  • Bem-estar.

– LUZES DAS CIDADES

A casa do baile. Foto: Marcel Gautherot

Belo Horizonte | Marcel Gautherotregistros modernos da invenção da Pampulha: depois e além

Essa exposição apresenta uma seleção de imagens do fotógrafo francês Marcel Gautherot, além de livros, revistas, vídeos e documentos acerca de sua obra. Uma produção artística de relevância internacional, que se relaciona com a cultura e a história do modernismo em nossa cidade e no país.

A visita presencial ocorre por meio de agendamento no site, de quarta-feira a domingo, das 11h às 18h

Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 751 – Pampulha – CEP: 31365-450 – Belo Horizonte – MG

Fonte: Marcel Gautherot – registros modernos da invenção da Pampulha: depois e além

Museu Oscar Niemeyer (MON). Foto: Marcello Kawase

Curitiba Bienal Sul no Museu Oscar Niemeyer

Com uma instalação do artista Geraldo Zamproni no edifício do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, tem início no próximo dia 5 de agosto a parte brasileira da Bienal de Arte Contemporânea do Sul, organizada em Buenos Aires e que ocorre simultaneamente em 23 países, 50 cidades e 124 sedes, com a participação de 400 artistas. O evento gira em torno de cinco temas -consciência ecológica, constelações fluidas, modos de habitar, mundos digitais e políticas de arte. 

Fonte: Bienal Sul chega ao Brasil com instalação no Museu Oscar Niemeyer em Curitiba

Foto: CCSP

São Paulo CCSP.  Um passeio imperdível

O Centro Cultural de São Paulo é um espaço com uma das programações culturais mais interessantes da cidade. O local reúne a Pinacoteca Municipal, a discoteca Oneyda Alvarenga, a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade, um conjunto de bibliotecas, espaços expositivos, cursos diversos, teatro e cinema, além de uma horta comunitária – tudo aberto ao público.

Rua Vergueiro, 1000 – Liberdade. Segunda a sexta, das 10h às 20h

Sábado e domingo, das 10h às 18h

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 04

Logo sem fundo

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos –

GAP Q

Quanta elegância em tão fina linha.
GAP surgiu e logo conquistou seu espaço,
desenhando luminosidades e ornando arquiteturas
modos de viver.

Agora, como tudo que evolui,
GAP ganha nova versão: quadrada.
E assim,transforma-se em GAP Q.

Com seus ares de moldura,
enquadra novas possibilidades,
sempre em conversa discreta com ambientes,
em tom de luz profunda. 

Seu perfil de embutir NO FRAME*,
atua com desenvoltura como luz funcional
ou como efeito cênico: sempre encanto.

E sua versatilidade permite que os mesmos spots e
complementos do GAP original – Pen, Gap Box e Gap Cil,
sejam utilizados em diferentes usos, mais opções.

Com GAP Q a luz é a sua aliada.
O limite é a sua imaginação.

* Dimensões de 60x60cm ou 100x100cm. Possui iLed S 2700já incluso na peça.

Gap Q com spot Pen. Confira em iluminar.com.br

– EM FOCO –

Cada um no seu quadrado. Ou fora dele.

Nunca antes na história da humanidade a expressão “cada um no seu quadrado” fez tanto sentido. Aprisionados pelo inesperado de uma pandemia, todos nós, de uma maneira ou outra, tivemos que aceitar uma vida entre quatro paredes. Mas será que essa experiência foi ou tem sido tão limitada quanto parece?

Diante de tantos desafios e aprendizados como afirmar que 1 + 1 é igual a 2 ? E como não lembrar que as linhas nem sempre são retas. Elas fazem curva, viram pontilhados, se apagam, recomeçam.  

Muitas vezes a mudança é necessária, desejada, esperada, mas ainda assim não acontece. É que gerar uma interrupção no status quo não é tarefa fácil. Criar uma perturbação com a intenção de mudar uma situação, um produto, um projeto ou um sistema é o que chamamos de disrupção. Um conceito que soa bonito mas que não é tão simples assim de se aplicar. Vamos refletir sobre isso nesta edição de Spotlight. Vem com a gente.

Vista áerea de Toledo, Itália. Foto: Martin Sanchez

O quadrado que emoldura, mas não limita.

Qual imagem vem à sua cabeça quando você pensa no Rio de Janeiro? Cristo Redentor, Pão de Açucar, Copacabana Palace. O que emoldura a cidade maravilhosa? Sua natureza ou sua arquitetura?

O Livro Rio Enquadrado mostra um Rio de Janeiro distante dos clichês.

São imagens em preto e branco, imagine!  A partir delas, o fotógrafo Leonardo Finotti – um especialista em capturar detalhes, nos apresenta a beleza da arquitetura moderna brasileira.

Rio Enquadrado, Leonardo Finotti. Fonte: Galeria Zienlinsky

Temos o Rio com suas montanhas exuberantes. Mas também a ousadia e a originalidade da arquitetura carioca de Oscar Niemeyer, Affonso Reidy, Lucio Costa, Burle Marx e tantos outros.

Enquadradas sim, limitadas, jamais. As fotos são uma homenagem aos 450 anos da cidade, completados em 2015. Uma série de imagens que privilegiam a arquitetura moderna, tão presente na cidade.

Com formação em arquitetura e urbanismo, Leonardo Finotti se tornou um dos principais fotógrafos brasileiros de arquitetura.

Ele possui um acervo de quase 5 mil fotos do Rio de Janeiro.

Fonte: Amostra Leonardo Finotti 2016

Rio Enquadrado, Leonardo Finotti. Fonte: Galeria Zienlinsky

Códigos que enquadram arquiteturas

Como seria maravilhoso se os arquitetos tivessem total liberdade para projetar tudo aquilo que fossem capaz de imaginar. Mas a vida é real bem diferente.

A arquitetura é regida por uma série de códigos e leis, e não só pelos desejos dos clientes. Esses códigos podem engessá-la e o resultado, muitas vezes, culmina em edifícios repetitivos e em uma estética urbana monótona e sem graça.

Ao longo do tempo, códigos de obras e zoneamentos urbanos motivaram transformações históricas em cidades do mundo todo.

Vide a arquitetura escalonada nos edifícios Art Déco em Nova Iorque, os telhados com mansarda em Paris e e o desenho de cidades como Belo Horizonte, que nasceu no contorno de uma avenida.

Belo Horizonte – Brasil. Foto: @dailyoverview, via ArchDaily

Se já está preestabelecido como a arquitetura deve ser feita, é preciso expressar o direito de duvidar das suas tradições para expandir a possibilidade do seu sentido. E transgredir.

Copenhagen – Dimarca. Foto: @dailyoverview, via ArchDaily

Hoje, como consequência da escassez de terrenos disponíveis, as cidades têm avançado em direção aos subúrbios, espalhando edifícios unifamiliares em um padrão de ocupação do território verticalizado.

Na maioria dos casos, o que se percebe é uma tendência de privilegiar soluções que no passado se provaram apropriadas para um determinado contexto.  Uma repetição que tem se manifestado, constantemente, nas mesmas formas e nos mesmos problemas de sempre.

Ainda assim, a arquitetura continua tendo o desafio de promover a diversidade dentro da unidade.

Não cabe aos arquitetos transformar os códigos e as regras que lhes são impostas, mas sim transgredi-las, encontrar novas formas de se projetar edifícios tão singulares quanto eficientes.

Afinal, acreditar apaixonadamente em algo que ainda não existe é o primeiro passo para se criar algo realmente novo. Um caminho para a disrupção.

Pavilhão CMY / Shift architecture urbanism. Foto: René de Wit

Fora do quadrado, os caminhos da disrupção.

A teoria da inovação disruptiva foi apresentada inicialmente pelo professor de Harvard Clayton M. Christensen, em sua pesquisa sobre a indústria do disco rígido e, mais tarde, popularizada com o seu livro The Innovator’s Dilemma, publicado em 1997.

Ele chamou de “inovação disruptiva” o fenômeno pelo qual uma no produto, projeto ou serviço transforma um mercado, normalmente entregando mais rapidez, conveniência, simplicidade e acesso.

Os 3 elementos da disrupção

Para que uma inovação seja considerada disruptiva são necessários 3 pilares.

Acessibilidade é a ideia de que uma nova solução precisa ser adotada com facilidade pela sociedade, principalmente em relação a preço e usabilidade. Se ficar restrita a um pequeno grupo, ela perde sua capacidade transformadora.

Conveniência é outro fator fundamental. Inovações são disruptivas quando são capazes de solucionar problemas reais das pessoas. Elas devem, em última instância, promover bem-estar.

Simplicidade é o último pilar do conceito clássico de disrupção. O design que simplifica  é algo crucial para a aceitação de uma inovação e, consequentemente, para o seu potencial de disruptivo.

Pavilhão CMY / Shift architecture urbanism. Foto: René de Wit

Metamorfose, da equipe de arquitetura FAHR 021.3 é um exemplo de disrupção. O impacto da malha metálica verde, que preenche o espaço vazio junto uma porta de entrada da cidade, é inegável. 

A ruína, que faz parte da história da cidade, surge agora como espaço para a intervenção e acima de tudo para a imaginação. Num gesto que atrai o olhar e causa desconforto, a Metamorfose cria um novo cenário no Porto e dignifica um espaço outrora vazio.

O modo de pensar disruptivo nos ajuda a sair da caixa ( ou do quadrado), focando nas pessoas e nas cidades, com suas características, desejos e necessidades.

Metamorfose / FAHR 012.3. Foto: Fernando Guerra

– NEON | Palavras que Brilham –

“Design disruptivo é a criação de intervenções intencionais em um sistema preexistente com o objetivo específico de alavancar um resultado mais provável a gerar uma mudança social positiva”

Leyla Acaroglu, fundadora da Unschool of Disruptive Design

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

O padrão fora do padrão

Quantos universos podem caber em um pequenino quadrado?

Ao apreciarmos as obras do artista belorizontino Alexandre Mancini, alcançamos não só a resposta, mas também a dimensão da azulejaria

Um pioneiro na renovação dessa arte e profundo conhecedor da matéria, ele cria e produz seus próprios painéis sendo reconhecido como um novo mestre da azulejaria.

Admirador e discípulo de Athos Bulcão, se inspira na utilização de elementos geométricos simples, em livres combinações no espaço através de regras mínimas e liberdade máxima.

Alexandre cria painéis que vão dos tradicionais azulejos de padrão às composições concretas, de fortíssimo caráter artístico. Ele também desenvolve  pinturas, desenhos, objetos e esculturas.

Um dossel de luz

O estúdio Hou de Sousa, com sede em NY, criou uma instalação deslumbrante em Detroit, chamada ‘Bounce’.

A obra de arte pública é composta por mais de 1.000 triângulos de neon que se unem para criar um grande dossel de luz.

O intuito da peça é celebrara perseverança coletiva, mostrando que muitos componentes individuais podem  juntos fazer uma grande mudança positiva.

Materiais como cabo de paraquedas, corda de piano e uma série de polígonos de diferentes cores, tamanhos e formas foram utilizados para criar a instalação.

As armações triangulares são fixadas nos elos de uma estrutura de corrente catenária que, por sua vez, atua como um andaime flexível. Isso permite que o projeto seja reconfigurado e remodelado a cada estação. Sensacional!

Foto: Hou de Sousa, via Designboom

Foto: Sean Pollock Photography, via: Designboom

Uma exposição e os efeitos luz natural

A artista britânica Liz West criou uma excepcional exposição de luz natural intitulada “Hymn to the big wheel” no Canary Wharf de Londres.

A instalação luminosa se destaca como um pavilhão arquitetônico envolvente que explora a ilusão e a fisicalidade da cor e da luz natural no espaço urbano.

Foto: Sean Pollock Photography, via: Designboom

A obra de arte toma forma como um octógono multicolorido e incentiva o espectador a se reorientar e se alinhar com as mudanças de cores. Conforme o visualizador se move dentro da “roda gigante”, eles estão imersos em um escopo de cores em constante transformação.

O pavilhão estará na exposição das “Summer Lights” de Londres, que está à vista gratuitamente para o público  até 21  de agosto de 2021. Fonte: Designboom

– LUZES DAS CIDADES

Foto: Grupo Corpo

Belo Horizonte | Grupo Corpo

Imperdível a temporada online gratuita do Grupo Corpo em seu canal do Youtube.

Os vídeos exibidos são os de alguns espetáculos famosos. O próximo será Bach (17/set) e Suíte Branca (8/out), sempre pontuados por conversas ao vivo com os coreógrafos Rodrigo Pederneiras e Cassi Abranches.

O Sampa Sky será aos moldes do SkyDeck em Chicago. Foto: @erikmarthaler

São Paulo | Sampa Sky

O segundo maior edifício da cidade de São Paulo, o Mirante do Vale, acaba de ganhar dois espaços de vidro no 42° andar. O Sampa Sky tem uma vista incrível para o Vale do Anhangabaú e a região central da cidade. Os mirantes são de dar frio na barriga. Duas plataformas deslizantes com piso, teto e laterais de vidro blindado que avançam para fora da fachada, dando a sensação de estar levitando sobre a cidade.

O primeiro observatório retrátil, direcionado para a face Sul do edifício, tem uma vista sensacional para o Vale do Anhangabaú, o Banespão, o Prédio Martinelli e para o espigão da Avenida Paulista.

O segundo mostra o leste, que alcança o Mercado Municipal, a Rua 25 de Março, o Mosteiro de São Bento, o Parque Dom Pedro e, na linha do horizonte, os contornos da Serra do Mar.

O espaço terá um café Três Corações, lojinha de souvenirs e cenários instagramáveis, onde o visitante poderá ser clicado voando sobre a cidade a bordo da bicicleta do ET ou da vassoura de Harry Potter.

Prima Café, via Vanity Fair Itália

Milão, Itália | Prima Café

Se viajar para Milão está nos seus planos a dica é conhecer o Prima Café.

Criado pelo escritório Park Associati, o espaço inclui o próprio café, um bistro, um restaurante e um bar .

Um lugar concebido para acompanhar a o dia a dia dos clientes, desde a manhã até a noite.

A característica mais marcante do projeto éa iluminação, projetada para criar ambientes diferentes de acordo com os momentos do dia.

Seiscentos tubos reflexivos transparentes iluminados por projetores de LED criam uma onda de luz espetacular em todo o teto do local, lembrndo obras de Neon Art .

A intensidade e a cor da luz são programadas para mudar ao longo do dia, e seguem o ritmo cardíaco – tudo para garantir o máximo bem-estar .

Anote o endereço:

Corso Garibaldi 73, Milan, Itália.

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 03

Logo sem fundo

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos –

Criada por  Ari Coelho, por necessidade de ter em seus projetos uma luminária de parede, que fosse discreta, elegante, de luz indireta e que se integrasse às demais coleções da Iluminar, nosso mais recente lançamento traduz com maestria o conceito de luz profunda: OPEN. 

OPEN | Lâminas de luz.

Sutil presença suspensa.
Flutua quase solta sua luz.
Nascida arandela, é dela toda
a graça discreta da luz indireta.

Aliada da arquitetura,
existe e não interfere.
Insere luz com intensidade,
mas com toda a suavidade
– todo o conforto.

Versátil, OPEN se abre a
possibilidades* de convívio com
spots de focos direcionáveis.

Parceiros complementares
de luz, prontos para destacar
cenas e objetos.

No hall ou no living, no restaurante, galeria
ou onde você inventar, OPEN é fino traço.
Lâminas de luz flutuando no espaço.

– EM FOCO –

Nunca se falou tanto em “lockdown” como nos últimos tempos. Por isso mesmo, resolvemos lançar mão e trazer à tona uma palavra que além de necessária é pura provocação: OPEN.

Em bom português, abrir um livro, uma janela, um caminho ou mesmo um negócio nunca foi tão significativo.

De dentro pra fora, aqui e agora, individual ou globalmente continuamos abertos e ávidos pelo novo.

Inspirados por essa busca que move a maioria de nós, fomos investigar os horizontes que se abrem nesse momento mundo afora, sob as mais diferentes perspectivas e dimensões. São ideias, novidades, pontos de vista, histórias e o mais recente lançamento da Iluminar: OPEN. Coincidência?

Convidamos você a descobrir com a gente.

Cidades abertas para o futuro

O laboratório de pesquisa e design SPACE10 acaba de lançar o livro The Ideal City”. A proposta é criar um dia a dia melhor para as pessoas e para o planeta, apresentando soluções e abordagens diversificadas sob o ponto de vista de uma série de especialistas de renome mundial.

“O livro é um exemplo holístico de projetos de todo o mundo que podem inspirar arquitetos, designers, criadores de cidades, placemakers, comunidades e semelhantes em direção a melhores futuros urbanos– por meio de um idealismo compartilhado – não de uma forma compartilhada”, enfatiza Simon Caspersen, co-fundador da SPACE10.

O livro apresenta cinco princípios para uma cidade ideal:

Engenhosa é a cidade cheia de recursos, que consegue ser ecológica e economicamente sustentável. Prioriza princípios circulares, ou seja, circuitos totalmente fechados de água, nutrição, material e energia.

Acessível é a cidade construída para diversidade, inclusão e igualdade. Garante o acesso justo e igual à questões urbanos como emprego, saúde, educação, serviços, negócios, cultura, lazer, patrimônio, esporte e natureza.

Compartilhada é a cidade que promove um senso de comunidade, colaboração e união. Ela é projetada para interações sociais por meio de instalações compartilhadas, espaços públicos, de trabalho, convivência e transporte.

Segura é a cidade que possui resiliência às mudanças e eventos climáticos extremos. Para tanto, ela deve fornecer proteção para todos, com ênfase na prevenção e reabilitação do crime. Indo além, ao mesmo tempo em que promove acesso a recursos como comida, água, abrigo e cuidados, garante o bem-estar físico e mental por meio de serviços de saúde e espaços verdes.

Desejável é aquela cidade que é prazerosa de se viver. Desenhada à escala humana, deve tornar tudo acessível numa caminhada de 15 minutos. É uma cidade que incentiva o lado lúdico da vida, promovendo a curiosidade, a admiração e a descoberta. E torna-se vibrante ao permitir o acesso à cultura, à arte e às atividades em espaços públicos atraentes para o relaxamento, bem-estar e aprendizagem.

Superkilen, Bjarke Ingels Group. Foto: Iwan Baan

Espaços abertos a novas possibilidades

Atualmente, diversos espaços comerciais estão sendo desafiados a mudar. Até mesmo os shoppings estão se adequando a um tipo de consumidor que realiza suas compras pela internet e vai às lojas apenas para buscar ou trocar mercadorias.
O e-commerce e os Omnichannels estão em evidência. E os malls estão funcionando mais como grandes centros de lazer, que abrigam cinemas e praças de alimentação, do que lugares de comércio e serviços. 

Tudo isso tem exigido profundas adequações por parte das lojas e de todo o seu entorno. Pisos antiderrapantes, que mudam de cor, espaços com mapas holográficos, dispositivos de voz e assistentes virtuais para orientar os consumidores serão cada vez mais comuns e fundamentais. Assim como serviços que incorporam todas as vantagens da internet 5G, da robotização e da inteligência artificial. Quem viver verá!

Como será a arquitetura em 2025.

Pessoas abertas a novas experiências

Romper barreiras, ultrapassar limites e partir para o desconhecido tem sido cada vez mais preconizado por profissionais que se permitem o novo.  É o caso do mineiro Lufe Gomes que apostou em seu talento fotográfico para abrir um horizonte de possibilidades.

Formado e pós-graduado em Engenharia, Lufe atuava na área até se mudar para Londres, onde a fotografia chegou em sua vida pra ficar.

De volta ao Brasil, passou a trabalhar para revistas de decoração e iniciou um projeto próprio, o Life by Lufe. Desde então o sucesso tem sido uma constante.

Recentemente, ele iniciou um novo negócio de reforma de apartamentos, o Lufe Homes, que alia sua formação como engenheiro à sua incrível experiência nas áreas de arquitetura e decoração.

“Compro e reformo com meu olhar sempre voltado para tudo que defendo sobre morar com originalidade, com verdade e com leveza”, ele comenta. (via Casa Vogue)

– NEON | Palavras que Brilham –

“Abra sua mente, se levante do sofá, mova-se

Anthony Bourdain

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

Breeze of Innovation

A SMAR Architecture Studio venceu o concurso Urban Confluence Silicon Valley para projetar um novo marco para o Parque San José, no Vale do Silício.
O estúdio, liderado por Fernando Jerez e Belén Pérez de Juan, com escritórios na Austrália, Espanha e Lituânia, superou as 963 inscrições em 72 países.
Breeze of Innovation será uma torre formada por 500 hastes flexíveis de 61 metros.
Seu movimento oscilante irá gerar a eletricidade necessária para que as lâmpadas na ponta das hastes se acendam à noite, criando uma atração incrivelmente brilhante.

Um vazio no centro da torre vai permitir que os visitantes percorram a estrutura e explorem suas passarelas de vários níveis. Perto do topo, uma plataforma de observação fornecerá vistas através das hastes brilhantes e através do vale.

O SMAR Architecture Studio também planeja construir um espaço de exposição e um café como parte do projeto Conheça esse projeto incrível aqui.

Neste mês, foram anunciados os vencedores do LIT Design Awards 2020.
O LIT Design Awards foi criado para reconhecer os esforços de talentosos designers de produtos e implementadores de iluminação internacionais. A premiação acredita que a iluminação é arte, ciência  e um dos elementos mais importantes do design. Destacamos alguns dos premiados:

1. O Prêmio Community Building Lighting foi para Chongqing Guo Tai Arts Center Lighting Design
2. A Categoria Spotlight premiou Women in Lighting (WIL), uma plataforma digital global que celebra o trabalho das profissionais mulheres da área de iluminação.
3. Lighting Designer do Ano: escritório CharterSills pela iluminação do saguão da Union Station de Chicago.
4. O Prêmio Design de Produto de Iluminação do Ano consagrou a coleção Artist’s Hand, criada pela designer Niam Barry.
Confira a lista completa dos premiados aqui.

– LUZES DAS CIDADES

São Paulo | Farol Santander reabriu com novidades

O Farol Santander São Paulo está aberto para visitação presencial de acordo com todas as normas de segurança e recomendações das autoridades. 

A novidade da reabertura fica por conta da nova cenografia realizada no 4º andar do edifício. O piso, que tem a obra permanente “Vista 360°”, realizada pelo artista visual Vik Muniz, utiliza sucata da reforma do prédio. Ele foi repaginado pelo arquiteto Fernando Brandão e na nova versão conta com uma reprodução cenográfica de outra obra do artista – “Retratos de Revistas (autorretrato), de 2003, produzida com papel de revista recortado com perfurador mecânico.

Na retomada das atividades, o centro de empreendedorismo, cultura, lazer e gastronomia funcionará em horário reduzido, das 9h às 20h, de terça a domingo, e com 25% de sua capacidade total de público.

Belo Horizonte | Transmissões ao vivo da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

A Filarmônica retoma a realização dos concertos da Temporada 2021, mas ainda sem a presença de público na Sala Minas Gerais. Os concertos acontecem totalmente alinhados com as novas medidas de segurança e de combate à pandemia da Covid-19 em Belo Horizonte e em Minas.
Você poderá acompanhar a programação através das transmissões ao vivo pelo YouTube.

Bom dia, Curitiba!

Tomar um belo café da manhã é uma das melhores maneiras de começar o dia. E se você está em Curitiba, vale a pena conferir as dicas do Curitiba Cult. 

São opções que atendem aos mais diversos gostos e estilos, com menus autênticos e deliciosos.

6 lugares para você tomar um bom café da manhã em Curitiba

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 02

Logo sem fundo

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos e Conceitos –

Deep Lighting

Existem espaços que acolhem, abraçam e criam em nós uma sensação de grande bem-estar e aconchego. Não há mágica nisso, mas um conjunto de elementos que soma técnica, talento e muita criatividade.

A luz é uma das responsáveis pela criação dessa atmosfera de conforto e requinte. E para nós, da Iluminar, quanto mais a luminária passar despercebida e estiver integrada à arquitetura, melhor.

O que realmente importa são os efeitos e resultados que a luz cria no ambiente: a valorização do espaço, os destaques da arquitetura, a funcionalidade. A expressividade dos detalhes, obras de arte, objetos, vegetações. Tudo isso dentro de uma rigorosa regra: o extremo conforto visual.

Somos intransigentes neste quesito e, por essa razão, o desenho e a estrutura dos nossos produtos procuram deixar as fontes de luz mais recuadas e com a maior profundidade possível.

Assim, atingimos os objetivos luminotécnicos sem causar ofuscamentos e brilhos excessivos, criando uma harmonia entre luz e sombra que faz toda a diferença. 

É o que chamamos de Deep Lighting.

Um conceito que está no DNA da Iluminar desde sempre e que tornou-se nossa assinatura nos milhares de projetos que desenham parte da nossa história.

Para conhecer mais acesse iluminar.com.br

Foto:www.designboom.com

– EM FOCO –

Como será o amanhã

Quem não se lembra desse famoso refrão, cantado em verso e prosa? Quem nunca se perguntou como será o amanhã? A verdade é que essa incógnita acompanha a humanidade desde os seus primórdios. O futuro sempre nos intrigou individualmente. Mas agora, mais do que nunca, essa é uma questão coletiva e mundial.

Líderes, funcionários, clientes, acionistas e cidadãos estão todos em busca de um futuro que alcance novos níveis de sucesso: mais amplo, profundo e sustentável. Essa intenção sincronizada globalmente de reconstruir o amanhã cria uma oportunidade única para o mundo, nas mais diferentes áreas e setores.

É isso que vamos explorar aqui. Mostrar como empresas, comunidades e pessoas estão usando a criatividade para encarar e desenhar o futuro em todas as suas possibilidades.

Futuro que valoriza o passado

Eles começam cada projeto com um processo de descoberta que inclui observar intensamente e encontrar valor no que já existe. Eles são Lacaton & Vassal – escritório francês que marca sua influência na contemporaneidade ao ser agraciado com o Prêmio Pritzer 2021.

A dupla de arquitetos, que também é um casal, é internacionalmente reverenciada pelos projetos de habitação social, de espaços públicos generosos, de instituições de ensino e  de planejamento urbano.

Eles sempre preferem partir de estruturas preexistentes, sendo veementemente contra demolições. Para tanto, utilizam materiais banais para erguer construções minimalistas.

Em um de seus premiados projetos, o casal transformou mais de 530 unidades habitacionais que seriam demolidas. Para dar mais espaço e luminosidade aos apartamentos, criaram alternativas de design, eletricidade e ventilação que geraram mais conforto aos moradores.

O portfólio do casal é extenso e incrível. Vale muito a pena conferir aqui.

Futuro que transforma o presente

Quando a realidade cotidiana fala mais alto, a criatividade pode ser uma forte aliada. Em uma comunidade carente de Maceió, o design e o artesanato transformaram um grave problema sanitário em um projeto de sustentabilidade ambiental e social.

Essa história começa com a pesca de sururu, que é uma das atividades mais tradicionais e importantes das comunidades de Vergel do Lago.

Acontece que a extração desse molusco gera, apenas nas margens da Lagoa do Mundaú, na zona metropolitana de Maceió, mais de 300 toneladas de cascas por mês. Se por algum motivo esse material não é recolhido, fica acumulado e torna-se foco de doenças e mal cheiro.

O que seria um lixo se transformou em luxo: as conchas compostas de calcário – material nobre para o design, ressurgiram como cobogó, desenvolvido pelos designers Marcelo Rosenbaum e Rodrigo Ambrosio, e pelo artesão Itamácio dos Santos.

O projeto foi lançado na Expo Revestir 2020 e será distribuído pela Pointer, fábrica de revestimentos cerâmicos.

Veja mais aqui.

Watts x Lúmens

Como você escolhe suas lâmpadas de LED? A maioria de nós presta atenção apenas nos watts e não dá a mínima importância para os lúmens. Mas para garantir uma maior eficiência luminosa e ainda conseguir um bom custo-benefício é essencial observar e entender a relação entre os dois.

Watts (W) são a quantidade de energia que um dispositivo precisa para exercer sua função. No caso das lâmpadas, trata-se da unidade de medida responsável para ser capaz de emitir luz.

Lúmens (Lm) são unidades de medida que determinam a quantidade de luz que o objeto consegue emitir em todas as direções, ou seja, o seu fluxo luminoso. Em outras palavras, quanto mais lumens uma lâmpada tiver, maior a sua luminosidade e mais forte será sua iluminação. 

Para definir qual a lâmpada ideal para cada ambiente é preciso olhar a sua quantidade de lúmens. Já para saber qual trará maior economia, o certo é observar os watts. 

Devemos ter em mente, porém, que nem sempre o maior valor é o melhor. Os projetos apresentam demandas, alturas e ambientes diferentes. Além de verificarmos a quantidade de lúmens de uma luminária, também devemos ver o ângulo de distribuição luminosa. Então fique atento e guarde a dica abaixo.  

Quanto maior a emissão de luz (lúmens), para o menor consumo de energia em watts, melhor será a eficiência luminosa de uma luminária ou lâmpadas de LED.

Mais informações aqui.

– NEON | Palavras que Brilham –

“Temos que substituir a beleza, que é um conceito cultural,

pelo bem, que é um conceito humanista.”

Philippe Starck

– ILUMINURAS | Dicas. Achados. Insights –

GROW. Agricultura e cultura clamam sustentabilidade

Inspirar e refletir sobre o futuro. Esse é objetivo da obra de arte GROW, do artista holandês Daan Roosegaarde. Uma instalação de luz que brilha verticalmente em uma fazenda de alho-poró de 20.000m².

A luz poética é mais que impressionante, ela também aumenta o crescimento das plantas enquanto reduz o uso de agrotóxicos em 50%.

GROW destaca a importância da inovação no sistema agrícola ao mesmo tempo em que cria um design de luz de ponta que ajuda as plantas a crescerem de forma mais sustentável.

Ela dá um novo significado à palavra agricultura ao reformular a paisagem como uma obra de arte viva e cultural. 

E ao desenvolver essa paisagem de sonho luminosa, Roosegaarde incentiva o público a pensar no futuro não como uma fonte de ansiedade, mas como uma possibilidade cheia de esperança e de luz.

Veja mais aqui.

Contrastes instigantes

A Ellen Miller Gallery  apresenta uma exposição que chama a atenção para as questões relacionadas ao meio ambiente e à qualidade de vida. As instalações flutuantes do artista Thomas Jackson são inspiradas em sistemas emergentes auto-organizados na natureza, como gafanhotos em enxame, cardumes de peixes e pássaros em bando.

As imagens promovem uma interação entre o natural e o fabricado, o real e o imaginário.

Segundo Thomas, criar instalações com materiais inesperados em lugares em que eles parecem não pertencer é um convite a novas interpretações do dia a dia. E do futuro do planeta.

As obras são lindas e surpreendentes. Acesse o site Ellen Miller Gallery.

– LUZES DAS CIDADES

São Paulo | Exposição OS GEMEOS: Segredos  

Esta é a primeira exposição panorâmica dos artistas e irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo. A mostra, apresentada pelo Bradesco, conta com mais de 1000 itens, cerca de 50 inéditos ou nunca exibidos no país. A exposição também está disponível em uma experiência virtual em 360º. Para acessar o tour em tela cheia clique aqui.

Paris  | Louvre Online

Atenção amantes das artes, aqui vai uma dica que é um alento. O Museu do Louvre, em Paris, anunciou a disponibilização de todo seu acervo online.

São mais de 480 mil peças que podem ser vistas gratuitamente, quando e onde você quiser. Esculturas renascentistas, antiguidades egípcias, pinturas de artistas renomados, entre outros. O conteúdo está disponível em francês, inglês, espanhol e chinês. Para conferir as obras é só acessar o site oficial do Louvre.

– EM BREVE –

Lâminas De Luz

Vem aí mais um lançamento Iluminar.
Vamos contar tudinho pra você na próxima Spotlight.

SPOTLIGHT

Direção de criação e conteúdo :: Claudia Travessoni

Curadoria :: Nicole Stéffane

Direção de arte :: Gustavo Mafra e Natalia Cruz

Spotlight 01

Logo sem fundo

– EM FOCO –

Luz no fim do túnel

Os tempos são outros: diferentes, únicos, desafiadores. O novo normal chega transformando atitudes, revendo rotinas e convocando o nosso famoso jogo de cintura. Haja criatividade e resiliência. Mas o que nos faz seguir adiante, com a confiança de que tudo vai dar certo, é a boa e velha esperança.

Enxergar a luz no fim do túnel pode ser algo muito pessoal. O que nos move? Projetos, conexões, oportunidades. Encontros, amores, trabalho. Seja o que for, o fato é que seguimos acreditando, porque somos seres sofisticados, com uma capacidade incrível de dar a volta por cima. E como tal intuímos que, para evoluir, precisamos nos adaptar a uma das leis mais certeiras da nossa existência: a mudança.

Mudar a casa ou mudar de casa?

Sim, o conceito de adaptação nunca foi tão significativo. E se vamos continuar na mesma casa ou mudar, precisamos refletir como o espaço que habitamos pode nos acolher por tanto tempo e para tantas atividades.
Em pesquisa realizada em 2020, foram apresentados os principais fatores apontados como motivos para se mudar de casa. Confira a seguir:

1. Escritório em casa (31,8%).

2. Desejo de mais áreas verdes no entorno do imóvel (28,4%).

3. Aumento da importância de um espaço de lazer em casa ou no condomínio (24,8%).

4. Necessidade de um imóvel mais espaçoso (22,4%).

Como a pandemia mudou a relação dos brasileiros com suas casas
Ter um canto tranquilo pra trabalhar enquanto os filhos aprontam algazarras ou assistem a aulas on-line, poder curtir um quintal, uma área verde, uma varanda ou mesmo ter um lugar pra se isolar dentro de casa são algumas das questões do momento que pedem soluções viáveis. Dentre elas, o home office merece grande destaque.

A era do home office.

Seja onde for, o home office surge como uma prioridade que está mudando as relações de trabalho e de convivência.
Ele ganha uma nova dimensão e os desafios são muitos. A mesa é boa o suficiente? A cadeira é adequada? O espaço é arejado? E a iluminação?
Tudo isso conta muito para que o ambiente gere bem-estar e seja confortável e apropriado à saúde.
Separamos alguns “achados” que valem a pena compartilhar.

1. Debruçada sobre os projetos de interiores brasileiros publicados nos últimos meses e partindo de sua experiência diária em curadoria, a ArchDaily mapeou 22 tendências que apontam o caminho para o futuro do design de interiores no território brasileiro, em 2021 e nos próximos anos. A cabeceira como home office nos chamou a atenção.                Confira: 22 tendências no design de interiores brasileiro para 2021

2. Uma questão que vale a pena ressaltar é a importância da iluminação. É fundamental priorizar o conforto visual, o que significa saber escolher o tipo certo de lâmpada – se terá cores mais quentes ou frias, a posição das luminárias, como evitar os reflexos. Tudo para que a produtividade e a concentração não sejam prejudicadas. Confira 6 dicas para acertar nesse quesito.

1.   Iluminação para espaços integrados

2.   Tons da luz

3.   Pendente ou luz direta

4.   Home office no quarto

5.   Home office na mesa de jantar

6.   Iluminação de marcenaria

3. O fabricante de móveis britânico Benchmark projetou Noa, uma mesa de altura ajustável que permite aos usuários ficarem sentados ou em pé enquanto trabalham. A mesa foi projetada para aumentar a produtividade, estimular uma boa postura e movimentos ao longo do dia.
Ten chairs, desks and other furniture for working from home 
Cores, acabamentos, superfícies. Integração, economia e ganho de espaços. Materiais, mobiliário, tecnologia, iluminação. Existe um universo a ser explorado. Um convite à criatividade.

– NEON | Palavras que brilham –

“A certeza é um bloqueador da sua mente. Para criar algo novo, você precisa ter dúvidas.” 

Milton Glaser, designer

– ILUMINURAS | Dicas, achados, insights –

Out of shadows

O Museu de Belas Artes de Houston inaugurou em fevereiro a Electrifying Design: A Century of Lighting – a primeira exposição de grande escala nos EUA a examinar as inovações tecnológicas e artísticas no design de iluminação internacional. A galeria de tipologias expande a maneira como pensamos a função e a forma da luz em nossa vida cotidiana.
Out of the shadows: “Electrifying Design” celebrates century of light

Coreógrafos da expressão

 Os artistas londrinos Hsiao-Chi Tsai e Kimiya Yoshikawa são coreógrafos da cultura, cor, material e expressão. Eles trabalham em instalações de arte distintas e intervenções escultóricas, explorando noções clássicas de cor, materiale formas que são derivadas da natureza. Vidro, metal, neoprene, jesmonite, perspex, fibra de vidro, pigmentos, luz negra. Cada material é submetido a novas técnicas. Um luxo!                                                                                                    Tsai Yoshikawa Artworks

– LUZES DA CIDADE –

São Paulo | Território em construção.

Ao longo de seus 467 anos, São Paulo tem muita história pra contar.
Essa paisagem que mudou tanto através dos tempos nos é apresentada por meio de imagens, vídeos e áudios do acervo do Museu do Ipiranga numa mostra on-line e gratuita. Uma aventura arquitetada por memórias, territórios e formas de viver.

Confira mais aqui

Abraham Palatnik | A reinvenção da pintura.

Pela primeira vez, Belo Horizonte recebe uma mostra retrospectiva das obras de Abraham Palatnik, o pioneiro da arte cinética no Brasil. Artista cinético, pintor e desenhista, Abraham Palatnik é considerado o responsável pela expansão dos caminhos das artes visuais ao relacionar arte, ciência e tecnologia. A exposição está no CCBB, de 03/02 a 19/04. No momento, as visitas estão suspensas, mas você pode conferir o catálogo da exposição aqui.

Obra: Aparelho cinecromático,1960. Abraham Palatnik.

– HEADLIGHTS ILUMINAR | Lançamentos –

Restaurante Balthazar. Vitória – ES | Projeto: Vivian Coser Arquitetos Associados

VUUU | A geometria reimaginada

A Iluminar acaba de lançar o sistema Vuuu, da designer Vivian Coser.
Inspirado na perfeição e forma do triângulo equilátero, Vuuu contracena com os mais diferentes espaços com ousadia e delicadeza.
Um sistema minuciosamente pensado para criar contextos inovadores a partir de um único conceito. A versatilidade do perfil sob medida permite que o sistema, em um ou mais módulos, seja fixado na parede, no teto ou no piso. E pode ser usado como pendente ou sobreposto, luz direta ou indireta.
Na foto acima, você confere a expressividade do Sistema Vuuu no belo projeto da própria Vivian Coser. Nós adoramos!
Discreto ou vibrante, Vuuu acende a imaginação, interagindo com os ambientes com ares de arte contemporânea.

Confira mais no site: www.iluminar.com.br